O vermelho ressurge em Manchester

No início dessa semana surgiu como uma bomba na imprensa uma proposta feita pelo Manchester United ao Barcelona, por Neymar Jr. Levando em consideração o alto nível técnico do camisa 11 culé, não é de se espantar que o clube inglês queira contar com um dos melhores atacantes do mundo, ainda mais depois de negociar nomes como Van Persie e Di Maria. Mas a questão maior se apresenta por conta dos números envolvidos na possível transação: R$760 Milhões, ou $190 Milhões de Euros. Caso concretizada essa seria a venda mais cara da história de um jogador de futebol, superando Gareth Bale que saiu do Tottenham para o Real Madrid por R$403 Milhões de reais, ou $100 Milhões de Euros.

Todos sabemos que o Manchester United figura como um dos grandes clubes da europa e consequentemente do mundo, principalmente em termos financeiros, mas em quais outras bases o lado vermelho de Manchester se baseia para fazer essa oferta e tentar contratar o craque brasileiro ? Com a virada de temporada, os ”Red Devils” contam com 3 fatores que estão fazendo a diferença de forma positiva: Adidas e Champions League e Premiere League.

Após 13 anos de parceria com a Nike(2002 – 2015), o Manchester United fechou um contrato com a maior rival norte-americana, a Adidas, com um valor de $750 Milhões de Euros por 10 anos. Esse acordo assim que colocado a público gerou um grande impacto na mídia, que se estendeu para os cofres das duas empresas, já que após 22 dias de lançamento da nova linha de uniformes o United alcançou o volume de vendas projetado para 1 mês. A empresa alemã afirmou que com isso bateu todos os recordes de venda da história, e o Manchester United obteve um aumento de 200% nas vendas de seus uniformes em comparação com a temporada 14/15. Além disso, com postagens nas redes sociais(38 no total, envolvendo Facebook, Twitter, Instagram entre outras redes), o United gerou 3.2 Milhões de Euros para seus cofres.

Os outros 2 fatores se referem as principais competições que os ”Reds” disputarão esse ano. Acostumado a sempre disputar a competição de clubes europeia, devido ao fracasso da temporada 13/14 o clube não participou da última edição da UEFA Champions League. Com o retorno esse ano, o Manchester retoma uma visibilidade que pode ter sido prejudicada a nível europeu, além de embolsar mais uma boa quantia em dinheiro a medida que avance na competição. E falando em dinheiro, a partir da temporada 16/17 entrará em vigor o novo acordo de transmissão da Premiere League, onde a liga receberá 5.1 Bilhões de Libras(R$22,4 Bilhões), divididos 50% igualmente entre os times, 25% de acordo com a classificação no fim do campeonato e 25% de acordo com a audiência de cada time.

Analisando os 3 fatores citados, podemos ver que existe uma grande entrada de dinheiro no clube, que juntamente com a necessidade de se impor novamente como um ”gigante europeu”, traça estratégias para alcançar esse objetivo. O alto investimento da Adidas, juntamente com novos valores de transmissão de TV dão ao United uma boa base para fazer essa proposta ao Barcelona. Caso concretizada, essa transação sem dúvidas vai gerar um grande impacto financeiro e de marketing ao clube inglês.

Robert Batista.

Logo bpm vertical degradê PARA O BLOG

 “O ESPORTE CONSTRÓI MARCAS”

Confira na íntegra as matérias as quais inspiraram este post:
1- Globo Esporte
2- mkt esportiv
3 – mkt esportivo 2
4 – Mantos do Futebol
5 – Trivela

Imagem de Capa – Fonte: http://www.mktesportivo.com/wp-content/uploads/2015/08/united-repucom.png
Imagem 2: Propriedade BPM Marketing Esportivo

One thought on “O vermelho ressurge em Manchester

  1. Marco Tulio

    Top a análise realizada!!! Concordo com tudo q foi falado e fui pego de surpresa com valores apresentados…

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>